sexta-feira, agosto 04, 2006

Porque “seta” e não oportunidade?

Disse Jesus: “Ide portanto e fazei discípulos”
No texto, Jesus nos orienta a fazermos discípulos enquanto andamos. Ou seja, andando e evangelizando; durante a ida para o trabalho, durante o expediente, durante a festa de um amigo, durante uma aula. Significa adotar um modo de vida e não, apenas, uma ação isolada. Uma situação que nos é recorrente, por exemplo: não andamos fazendo discípulos durante a semana, então separamos um tempo no sábado e “tiraramos o atrasado”(evangelizamos). Nós, muitas vezes, deixamos de evangelizar, não porque não gostamos de fazê-lo, mas, por que não identificamos as oportunidades. Um dos fatores que atrapalham o evangelismo é a nossa hipersensibilidade. Ela nos faz renomear a palavra“oportunidade” em “seta”. E que seta é essa? Vejamos então.
É comum nos cultos de oração ouvirmos irmãos e até nós mesmos com o seguinte pedido de oração: “Irmãos orem por mim por que estou sendo perseguido por um colega de trabalho (ou da escola) e isso só pode ser seta do diabo”. Geralmente o perseguidor é um tipo bem difícil de lidar, mal resolvido, talvez um invejoso, um fofoqueiro, pessoas dos mais diversos tipos de caráter. E nós por identificarmos essas pessoas enquanto perseguidores enviados de satanás, as famosas “setas malignas”, adotamos uma atitude de autoproteção e nos distanciamos delas perdendo assim oportunidades de falar-lhes do amor de Cristo. Se observarmos na Bíblia veremos que Cristo andou com doentes, prostitutas, ladrões, eram pessoas consideradas “escória da sociedade”. E Cristo procedia assim porque sabia que eram essas pessoas que realmente precisavam da Sua ajuda. Não devemos ser ingênuos, Jesus passou por situações muito piores do que as que passamos no nosso trabalho, escola, igreja, etc. Enquanto, nós homens, estamos queixando-nos de sermos perseguidos por um homossexual, Jesus o era pela prostituta, pelo bêbado, pelo homossexual, pelos ladrões e não se queixava, como se vítima fosse, antes evangelizava. E muitos destes, outrora perdidos, foram alcançados pela misericórdia e salvação de Cristo, tendo suas vidas transformadas de escravos do pecado em filhos, tão apaixonados por Cristo quanto nós. A Bíblia nos diz: “as portas do inferno não prevalecerão contra a igreja de Cristo”. Se lermos esse texto com atenção perceberemos que somos nós que atacamos e o inferno o que recebe o ataque em sua retaguarda. Então eu pergunto: Ter medo do que? de “setas”?
As “Setas” são passado em nossas vidas. De agora em diante, elas se chamarão “oportunidades”. As pessoas ímpias que nos cercam têm procedimentos de vida reprováveis por que não provaram do amor de Cristo. Outrora, nós Cristãos, fomos ímpios, quem sabe tão mentirosos, ou fofoqueiros quanto nosso colega de trabalho, mas Deus nos amou mesmo assim e nos enviou um arauto para que nos falasse do Seu amor, e hoje depois de tudo somos salvos em Cristo Jesus. Que possamos, como Cristãos, tolerarmos em amor os que nos perseguem e ministrarmos, com sabedoria, em suas vidas, para que através de nós sejam alcançados pela graça de Deus. Essa é a vontade de Cristo irmãos; que vençamos a nossa hipersensibilidade ou vitimismo e preguemos o nome Dele com amor, e de forma bem natural aos perdidos. Amem?
Tiago Talmon

1 Comments:

Blogger Dany Carvalho said...

Esse é um dos textos que tive a grande oportunidade de postar no meu blog. Ministrou a vida de muita gente e, sem duvida nenhuma, a minha também.Jesus te abençoe.
Dany

9:23 PM  

Postar um comentário

<< Home